GUSTAVO BORONI - Estampa Pop



Talvez poucos saibam, mas não foi pela fotografia que Carlos Gustavo Maia Boroni dos Santos mergulhou no mundo das artes, e sim, pela pintura. Conservadas até hoje, as telas que datam de 1995 mostram um artista em processo de encontro até mesmo com a sua assinatura – ele assinava Carlos Gustavo, até que adotou o nome pelo qual é profissionalmente conhecido – e também revelam os primeiros indícios da presença das cores em seu trabalho.Desde 2007 atuando por trás das lentes da fotografia, o também publicitário Gustavo Boroni tem na identidade de suas imagens uma explosão de cores – fruto de referências como o cineasta espanhol Pedro Almodóvar e o fotógrafo estadunidense David LaChappelle. Enquanto professor de fotografia (Boroni já ministrou por sete anos cursos de fotografia no Senac e hoje se dedica às aulas na Facima, faculdade particular de Maceió), o artista visual compara a disciplina a que se dedica com a luz, a cor e o pixel. Já pelos caminhos do design têxtil, ele teoriza que essa prática desenvolve 
layouts por meio de variações das artes visuais (fotografia, pintura, desenho), incorporando-as à arte gráfica.“A preocupação com artes visuais sempre foi uma constante em meus trabalhos e mergulhar em atividades como designer têxtil é compreender melhor sobre as possibilidades criativas de todo um processo”, conta o artista, que agora se revela num trabalho democrático que se traduz em peças de vestuário, obras de arte e artigos de decoração.